Dieta sem leite, como fica o cálcio?

Há situações em que se necessita fazer a exclusão do leite e a primeira pergunta que é feita;

E o cálcio, como vou obtê-lo?

Primeiramente, é realmente um equívoco pensar que com tudo que existe na natureza, só haja o leite como fonte de cálcio, se assim fosse muitas culturas como os chineses, indianos, japoneses, teriam sérios problemas de ossos, por exemplo, e não é o que vemos. Muitas são as fontes de cálcio no reino vegetal, por exemplo; as leguminosas (feijões), o gergelim (mas tem que triturá-lo), a couve, a couve-flor, brócolis, o tofú (queijo de soja), a chia…

Há um ponto muitíssimo importante a ser considerado, é que o cálcio só é absorvido na presença do magnésio, e só é depositado pelos ossos, na presença de vitamina D, magnésio, boro e fósforo.

Esta proporção é de 2/1, dois cálcios para um magnésio. Quando há falta de magnésio (onde a maior fonte são as folhas verdes bem escuras), situação bastante comum quando vários fatores se somam, dentre eles, muito estresse, uso excessivo de antiácidos, álcool, diuréticos de uso contínuo, alta ingestão de alimentos a base de lácteos e baixo consumo de verdes. Na falta do magnésio, começa a haver um desvio na proporção Ca/Mg, podendo haver problemas como espasmos coronarianos cerebrais, hipertensão, diabetes, câimbras, intestino preso…

O magnésio é determinante para mais de 300 reações no organismo: produção de energia, replicação celular, hormônios da paratireóide, músculos, vitamina D (importantíssima p/ fixação do cálcio nos ossos), e é fundamental no metabolismo além do cálcio, potássio, fósforo, zinco, cobre, ferro e ácido clorídrico.

Há também fatores que prejudicam a absorção do cálcio e pior ainda, que ajudam a excreção do mesmo: abuso de cafeína, refrigerantes ( presença de ácido fosfórico que necessita do cálcio, para ser excretado), água gaseificada, excesso de sal, açúcar e  excesso do consumo de proteínas.

Levemos em consideração dados que nos fazem pensar sobre, por exemplo, a osteoporose: os EUA são os maiores consumidores de leite e derivados, (grande fonte de cálcio), mas também grandes consumidores de refrigerante, álcool, antiácidos (que depletam o cálcio), e baixo consumo de hortaliças (magnésio).

Agora pasmem: os EUA são um dos países com maior incidência de osteoporose do mundo!!

Vamos analisar o leite: ele possui a lactose muito conhecida, mas também possui muitas proteínas. A lactose necessita de uma enzima chamada lactase para ser digerida, a qual os adultos quase não produzem, portanto não digerem esta parte do leite; dentre as frações protéicas as quais não conseguimos metabolizar (digerir) podemos citar a betalactoglobulina, a alfalactoglobulina e a caseína.

Tudo que não conseguimos digerir, inflama as nossas mucosas intestinais, alterando a permeabilidade das mesmas, favorecendo a entrada de substâncias tóxicas para dentro do organismo, aumentando a tendência às alergias.

Se a repetição da ingestão do leite e queijos (10 vezes mais proteínas que o leite) for muito alta, mesmo que seja “um dedinho de leite no café” mas diariamente, realmente vai ser um fator de grande estresse e inflamação ao longo da vida, ajudando a excretar o cálcio via renal, principalmente se estiver associado ao excesso de consumo de carnes ( churrascarias)!

Um trabalho feito na Inglaterra (Cambridge) com 926 bebês que foram acompanhados por 5 anos, relata que quanto maior e mais longa for a amamentação (leite materno) maior o nível de mineralização óssea aos 5 anos de idade (38% maior). Em contrapartida, quanto mais precoce a introdução de fórmulas infantis contendo leite de vaca menor a mineralização óssea aos 5 anos.

Façamos uma observação quanto a quantidade de proteína contida no leite de vaca (que é para que o bezerro ganhe 500 kg em 1 ano), perfeita para ele mas extremamente alta para nós seres humanos!! Quando pensamos que algumas destas proteínas não conseguimos digerir, e o leite é muito rico em proteínas, há uma leve acidificação do PH do sangue, onde o corpo para tentar equilibrar, excreta cálcio. Opa!,Quer dizer que mesmo o leite tendo cálcio, na resultante da metabolização do leite, o corpo excreta cálcio….

Interessante que isso não acontece quando utilizamos cálcio de origem vegetal, o nível de absorção acaba sendo maior pois não inflamamos as mucosas e o PH sanguíneo fica mais alcalino.

Observemos esta tabela:

Comentário: Não basta ter cálcio em abundância num alimento, sem magnésio ele não entra (1 de magnésio para 2 cálcios), assim sendo, o leite de vaca tem bastante cálcio, mas só 32 % é absorvido enquanto que a couve por exemplo tem menos cálcio que o leite mas como  tem mais magnésio, 58% é absorvido resultando em maior entrada de cálcio que o leite!!! Observem o tofú, e a chia que não está nesta tabela, tem em 100g , 556,8mg de cálcio, e 326 mg de magnésio (quase uma proporção 2/1), veja a quantidade de cálcio  que disponível, fora as fibras, fósforo, vitaminas, e ferro.

Que tal consumir mais produtos vegetais e diminuir o consumo do leite, mesmo que você não perceba alterações e ou alergias com o leite?

Deixe um comentário