Produtos

Oferecemos produtos sem leite e sem glúten, que podem e devem ser consumidos por todos e, especialmente, por celíacos e portadores de intolerância ao leite de vaca. Além disto, primamos por produtos com baixos índices glicêmicos, alta biodisponibilidade de nutrientes e fibras, que harmonizam a flora intestinal devido a grande utilização de pré e pró bióticos.

Possuímos na loja um empório que reúne produtos pré-fabricados provenientes de todo o Brasil, oriundos inclusive de pequenas comunidades longínquas, com o intuito de enriquecer a alimentação com sabores e texturas diferentes, pela inclusão de produtos menos conhecidos, porém muito ricos em nutrientes e fibras.

Nossos produtos podem se modificar durante o ano, pois respeitamos a colheita dos alimentos durante a época das safras.

IMPORTANTE: Para realçar o sabor dos pães e das quiches, levá-los ao forno médio, elétrico ou a gás, por 3 a 6 minutos, de acordo com o grau de crocância desejada e da potência do forno.

 

Benefícios de produtos sem glúten e leite: Porque consumir produtos Diaita?

1. Nossos produtos são artesanais, sem glúten e sem leite, com o conceito de saudabilidade e qualidade. Essencialmente, utilizamos como estratégia a combinação de dois fatores: alimentos saudáveis e técnicas dietéticas que visam qualidade e biodisponibilidade nutricional dos produtos finais.

2. Utilizamos farinhas preparadas especiais, com segurança alimentar e nutricional, capazes de oferecer produtos com textura e sabores diferenciados pelos teores de fibra, diminuindo o tempo de absorção intestinal do produto e melhorando os índices glicêmicos do mesmo.

3. Buscamos a técnica dietética adequada de cada produto, para inibição de fatores antinutricionais, com intuito de preservar e ou minimizar a perda de princípios ativos dos produtos, associando às mesmas, especiarias e condimentos, como antígenos alimentares. Por exemplo, deixar de “remolho” leguminosas como os feijões, por doze horas e cocção lenta e a baixa temperatura, para remoção adequada das lectinas e fitatos, que são inflamatórios para o nosso intestino.

4. Selecionamos e utilizamos alimentos ricos em pré e pró-bióticos que auxiliam na manutenção da flora intestinal e ao mesmo tempo estimulam a motilidade intestinal. Desta forma, os alimentos contribuem para uma melhor formação das fezes, prevenindo a diarréia e/ou constipação, buscando uma microflora saudável.

5. Há inclusão de antígenos alimentares, acordados em princípios ativos viabilizados por ervas, condimentos e frutas oleaginosas.

6. Nossos produtos apresentam grande diversidade de sabores e nutrientes e podem ser consumidos nas diferentes refeições. Devido ao seu alto teor de fibras e baixo índice glicêmico, contribuem com a manutenção de concentrações séricas adequadas de glicose (açúcar) e colesterol. Com adição de biomassa de banana verde, estimula-se também a proliferação de bifidobactérias, que têm função importante para o sistema imune e contra doenças diarreicas e inflamatórias intestinais.

 

A ESCOLHA DOS ALIMENTOS

 

Amaranto

Ingredientes_amarandoO amaranto é um cereal rico em proteínas de alto valor biológico. Possui minerais como cálcio, fósforo, potássio, vitaminas e aminoácidos essenciais para o bom funcionamento do nosso organismo. O alto valor proteico de 14 a 20% a mais (quando comparado a outros cereais), rico em minerais, atua na manutenção e no aumento da massa magra em atletas e esportistas amadores, além de contribuir para a diminuição do colesterol e a prevenção de doenças cardiovasculares, osteoporose e câncer. Rico em cálcio, o amaranto pode ser utilizado como substituto do leite animal, sendo indicado para crianças e pessoas com intolerância à lactose.

Uma porção de amaranto contém mais cálcio do que um copo de leite e fornece quase o dobro de ferro do que o trigo, além de ser uma fonte excelente de fibras. Por isso, pode ser utilizado para a elaboração de pães sem glúten, os quais melhoram muito o perfil multifuncional.

O amaranto é uma fonte de tocotrienóis (tipo de vitamina E), que ajuda a diminuir os níveis de colesterol no sangue. Além disso, contém óleo poliinsaturado, encontrado principalmente no germe da semente. É um óleo rico em ácido linolênico (um ácido graxo essencial) que auxilia no processo antinflamatório do organismo. Uma característica singular do amaranto, é a grande concentração de esqualeno em sua composição, substância somente encontrada em quantidades significativas nos óleos de fígado de animais marinhos. Suas propriedades naturais incluem a ação antioxidante no combate aos radicais livres, aumento da oxigenação, do metabolismo, proteção da membrana celular e sistema imunológico.

 

Arroz Integral

Rico em proteínas, vitamina A, vitaminas do Complexo B, provitaminas C, E e minerais.
Quando se remove a película do grão (refinamento), se perde a maioria destes componentes. Segundo os chineses o arroz age nos 5 movimentos, significa que é integralmente aproveitado como formador e mantenedor da saúde. Favorece a digestão, a flora bacteriana intestinal, evita degeneração celular, obesidade, câncer, ação cerebral e circulatória.
Rico em cobalto, ajuda na obtenção de energia para a célula e remetilação do DNA. O arroz integral também pode ser indicado para a elaboração de produtos sem glúten, como por exemplo, biscoitos e pão sem glúten.

 

Banana verde

Rica em potássio, magnésio, vitamina A, C, D, E, ferro e baixa concentração de gordura (0,5%), só 2% de açúcar quando verde e grande quantidade de amido resistente. Este amido resistente chamado prebiótico, tem grande estrutura molecular, quando cozida perde o tanino (amarra a boca) mas mantém o amido resistente. Este não é absorvido pelo organismo, mas é utilizado pela “flora intestinal” como nutriente das “bactérias do bem”. Em virtude do seu alto teor de fibras (inulina), dificulta a absorção de gorduras e glicose, ajudando aos diabéticos, aos que possuem colesterol alto, facilitando também o trânsito intestinal.

*Pré-bióticos são fibras alimentares, não digeríveis pelo corpo, mas que estimulam o crescimento e a atividade de uma ou mais bactérias benéficas do intestino. Estão presentes na cebola, alho, banana, etc. Como possuem praticamente nada de açúcar em especial na casca (10% de proteína), pode ser considerada um excelente alimento, além do fato de não ter gosto nem cheiro, pode ser adicionado à sucos, molhos, patês, inclusive como excelente espessante. Esta propriedade favorece aos que necessitam utilizar dieta sem glúten, tendo papel importante ao elaborar um pão sem glúten.
Fonte: Yes nós temos bananas (Heloisa de Freitas Valle).
Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP.

O amido resistente (84% na farinha de banana verde), se comporta fisiologicamente semelhante às fibras solúveis. Não é digerido no intestino delgado e chega intacto no intestino grosso, ai é fermentado pelas bactérias (bifidobacterium), produzindo AGCC (ácidos graxos de cadeia curta), elevando a tolerância da glicose pelo organismo, ajudando os diabéticos e os não diabéticos, pois solicita menos o trabalho da insulina.

Os AGCC, através sobretudo do butirato, são um grande aliado do câncer de cólon, pois diminuem a exposição de substâncias tóxicas com a mucosa, inibem a proliferação de células cancerígenas, pois reduzem o pH (+ ácido) no intestino grosso, que é mais saudável. Os AGCC possuem grande capacidade de absorver água, aumentando a saciedade e a velocidade do transito intestinal (noticia boa para os gordinhos!!). Com todas estas propriedades, é considerado um alimento integral, podendo ser utilizado também como um espessante na confecção de produtos sem glúten, dando uma textura mais harmoniosa ao pão sem glúten.

 

Batata doce

Rico em amido, cálcio, fósforo, ferro, vitamina A , C e complexo B e pequena quantidade de proteína vegetal. Atua no trânsito intestinal.

 

Cacau

Contém Acido esteárico: inibe absorção intestinal do colesterol.

Aminas biogênicas: neurotransmissor ligado ao bom humor.
Feniletilamina: neurotransmissor “da paixão”.
Arginina: importante na síntese da uréia, aminoácidos e óxido nítrico (NO); melhora a circulação e oxigenação sanguínea.
Importante para formação do colágeno (pele, feridas).
Importante na produção de hormônios, ex: hormônio do crescimento (ou da juventude).
Triptofano: precursor da serotonina (efeito calmante).
Rico em flavonóides – um grande antioxidante para o corpo, atravessa a barreira hemato-encefálica (neutraliza os radicais livres produzidos no cérebro), melhorando a memória e função cerebral. Também tem a capacidade de aumentar a resistência humana à oxidação do LDL – colesterol. Segundo Osakabe (2001) ,36g de cacau/dia contém 2,6g de polifenóis.

 

Cará (Dioscorea Cirrosa)

Rico em cálcio, fósforo, ferro, vitaminas, complexo B.
Rico em amidos simples e complexos, bastante interessantes porque tem digestão mais lenta , liberando açúcar mais lentamente e seus açúcares são armazenados em forma de glicogênio no fígado e músculos.
Ação nos cansaços, transpiração excessiva, poliúria.
Com tantos predicados, pode ser utilizado na fabricação de pão sem glúten por exemplo.

 

Castanha de Caju

Rica em cálcio (dentes, ossos, coagulação, infecções, glóbulos vermelhos), fósforo, selênio e rica em gorduras boas.
Deve ser ingerida com parcimônia, pois é bastante calórica.

 

Cebola (Allium Cepa)

CebolaTonificante dos vasos, diurético e mucos.
Ação: pulmão, tosse, febres.
Quando combinada com as farinhas (amidos), diminui o “estufamento” abdominal.

 

Chá Verde (Camellia Sinensis)

Rico em theanine – reduz níveis de cortisol (estresse) e ↑GABA, ↑Serotonina, ↑dopamina, trazendo tranqüilidade.
Rico em catequinas(30 a 40%), uma delas é epigalocatequina 3 galato, que está envolvida no controle e crescimento de células cancerígenas.
Efeito antioxidante, auxiliar na queima de gordura visceral e antinflamatório.
Fonte: Nutrição Clinica Funcional (Valéria Paschoal, Andréia Naves, Ana Beatriz B.L. Fonseca)

 

Clorofila (sucos verdes)

Presente em todos os vegetais verdes.
Estrutura semelhante à Hemoglobina, tendo no “núcleo” da fórmula Magnésio, que quando absorvida entra o ferro, aumentando a oxigenação.
A clorofila extraída de maneira especial e congelada, provém uma quantidade imensa de Magnésio, auxiliando em mais de 350 reações no corpo, em especial na oxigenação e estimulação hepática. Trabalhos recentes em pacientes com grande comprometimento hepático (hepatite, cirrose), mostram uma melhora substancial no funcionamento do fígado, com o consumo frequente de clorofila. Um fato interessante, é que para cada duas moléculas de cálcio absorvidas, necessitamos de uma de magnésio, o qual só é encontrado em vegetais verdes bem escuros. Cada flaconete de clorofila, equivale a 650 gramas de brotos orgânicos, imagine a quantidade de magnésio disponível!

 

Cogumelos
ShitakeShiitake (Cortinellus shiitake)

Rico em leucina e vitamina A, B, D e sais minerais.Rico em fitosterina, aumenta metabolismo do colesterol, auxiliando no não aparecimento das placas de ateroma nos vasos. Possui substâncias (betaglucana) que inibem a evolução do câncer. Baixa caloria. Considerado grande “eliminador” de toxinas, auxiliar no diabetes, hipertensão e obesidade.

 

Cúrcuma (Açafrão)

Rico em curcumina que possui efeito antioxidante, antinflamatório e antimutagênico. Estimula a atividade hepática.

Fonte: Nutrição Clinica Funcional (Valéria Paschoal, Andréia Naves, Ana Beatriz B.L. Fonseca).

 

Feijão Branco

As propriedades do feijão branco colocaram este alimento na lista dos mais procurados por quem quer perder peso. Sua farinha promete favorecer o emagrecimento e a redução dos níveis de açúcar no sangue. A responsável é a proteína chamada faseolamina, que inibe a absorção do carboidrato (amido) encontrado em massas, batatas, arroz, pão, biscoitos, etc. Por este motivo ela pode ajudar no emagrecimento e também se tornar uma grande aliada para quem tem diabetes.

Vitaminas presentes no feijão branco: vitamina E, vitamina B1, Folato (vitamina B9) e Vitamina K.
Minerais: manganês, fósforo, cobre, magnésio, ferro, cálcio e potássio. Outros nutrientes do feijão branco: fibras, proteínas e triptofano (calmante cerebral). Muitas são as indicações do uso dos feijões, uma delas é integrar pães sem glúten, fazendo parte da estrutura de produtos sem glúten, agregando sobretudo nutrientes.

 

Feijão Preto

O feijão preto contribui para a saúde do coração, não só através das qualidades da sua fibra, mas também nas quantidades significativas de ácido fólico e magnésio do mesmo. O feijão preto é uma boa fonte de manganês, proteínas, magnésio, tiamina (vitamina B1), fósforo e ferro. Além disso, eles são uma boa fonte de fibra alimentar. Também contêm compostos chamados polifenóis , que são úteis para as pessoas com colesterol elevado, pois atuam como antioxidantes no sangue. Rico em triptofano,um grande aliado da paz cerebral. Quando utilizado na elaboração de pães sem glúten, podemos dizer que este pão possui “arroz com feijão”, um alimento extremamente completo, genuinamente brasileiro, onde são encontrados quase todos os aminoácidos essenciais para a saúde.

 

Grão de Bico

O grão-de-bico é uma boa fonte de ferro, carboidratos e proteínas, concentrando um alto teor de aminoácidos.
Um deles é o triptofano, que aparece em grande quantidade e é usado na produção da famosa seretonina, neurotransmissor que ativa os centros cerebrais, causando a sensação de bem-estar. O ferro presente no grão-de-bico é inúmeras vezes mais bem aproveitado pelo organismo e, suas proteínas, além de terem uma qualidade muito superior às das demais leguminosas, elas são totalmente digeridas. É muito rico em ácido fólico. Este grão está sendo utilizado para elaborar produtos sem glúten, incluindo pão sem glúten, por agregar muito sabor e nutrientes.

 

Grãos integrais

São grãos que não passam pelo processo do refinamento, mantendo todas as suas características originais, uma grande quantidade de fibras, vitaminas e minerais, que durante o processamento se perdem.

Vantagens do integral: tem praticamente a mesma quantidade calórica que o refinado, mas como suas propriedades nutritivas são mantidas, reduzem a fome, pois prolongam a saciedade, podendo assim diminuir a “quantidade” de alimento ingerido. Os grãos integrais estão fazendo mais e mais parte dos produtos naturais, pois adicionam muitos nutrientes, podendo ser utilizados por exemplo, na elaboração de pão sem glúten.

 

Inhame

Há diferentes tipos de Inhame, porém todos os tipos fortalecem o sistema imunológico; famoso pela ação preventiva na malária, dengue e febre amarela. Rico em amido, betacaroteno, vitamina C e complexo B, cálcio, fósforo e ferro. Além de todas as boas propriedades, tem alto poder desintoxicante e degenerativo, sendo utilizado em algumas culturas para pacientes com tumores. Como possui propriedades de dar “liga”, pode ser um coadjuvante para a substituição do glúten (cola dos pães) e melhorar a textura de bicoitos e pães sem glúten.

 

Linhaça

É considerada como um alimento funcional, pois estão presentes proteínas, vitaminas B1, B2, C, e E, caroteno, ferro e zinco, fibras alimentares solúveis, ácidos graxos insaturados (Omega 3 e 6), aliás, a fonte de Omega 3 mais rica da natureza (24% ac. Decosahexano e eicosapentanóico). Assim está no rol das atenções na prevenção de inúmeras doenças, podendo ajudar a baixar triglicérides, colesterol, diabetes, TPM, menopausa, memória, anemia, sistema nervoso e imunológico, inclusive anticancerígeno. Para ser melhor aproveitada, deve ser triturada , saciando a sensação de fome por mais tempo, auxiliando na perda de peso, ajudando na desintoxicação, pois possui 5 vezes mais fibras que a aveia. A semente de linhaça contém 27 componentes anticancerígenos, um deles é a lignina. Como ela possui um pouco de “liga”, pode colaborar na fabricação de pão sem glúten, principalmente, como substituto da clara do ovo.

 

Manteiga Clarificada (Ghee)

Embora a manteiga seja obtida do leite, ela só tem 0,015% de lactose e traços dos aminoácidos das proteínas do leite; através da clarificação se obtém um produto que é rico em ac. butírico (antinflamatório intestinal). É uma gordura que o corpo “reconhece”, isto é, é metabolizada facilmente. É muito utilizada na cultura milenar indiana por ser promotora de saúde, pois pode ser utilizada na elaboração de pratos sem sofrer oxidação, suportando altas temperaturas de cocção. Por possuir estes benefícios, está indicada para fazer parte da elaboração de alimentos sem glúten, em especial biscoitos e pão sem glúten.

 

MCT

Triglicérides de cadeia média, (extraídos do óleo de coco) oferecem grandes benefícios, pois favorecem a entrada da insulina na célula, acionando a entrada da glicose (excelente para diabéticos e Doença de Alzeimer). Os mesmos são facilmente absorvidos, e são transformados em corpos cetônicos no fígado,os quais funcionam como alimento para músculos, cérebro e coração. Contém Ac. laurico que no corpo transforma-se em monolaurico, que tem uma ação anti-viral, antifúngica e antibacteriana (altamente benéfica nas infecções por helicobacter pilori e candidiase).
O MCT é tão rapidamente transformado em energia, que é consumido por atletas, aumentando a efetividade e performance nos treinos e campeonatos. Ajuda a diminuir riscos das doenças cardiovasculares e aterosclerose, ajudando a diminuir o LDL (mau colesterol).
Está em evidência por auxiliar na perda da gordura visceral (famoso pneuzinho) e ativar o metabolismo de repouso das gorduras brancas (mais inflamatórias).
Pode ser utilizado na elaboração de produtos, como por exemplo pão sem glúten, pois sofre baixa oxidação às altas temperaturas, agregando nutrientes e benefícios.

Fonte: Coco O milagre de uma goordura – Dr. Sergio Puppin.

 

Milho (Zea Mais)

Rico em carotenóides, transformando-se em vitamina D. Atua no processo degenerativo das gorduras das membranas celulares. Rico também em complexo B, vitamina E, fósforo, Iodo, potássio. Ajuda equilibrar sódio/potássio das membranas celulares.

 

Nirá (Allium japonicum)

Rico em ferro. Ação digestiva favorecendo a limpeza e lubrificação. Ação anti-hemorrágica. Ativa vesícula biliar, prevenindo cálculos. Ativador da vitalidade sexual, auxilia na enurese noturna.

 

Quinoa

É considerada o alimento proteico vegetal mais completo que existe. Planta nativa da Colombia, Peru e Chile.É um grão rico em fibras que não contém glúten, 15% de proteínas, rica em fósforo, cálcio, ferro, vitamina B1, B2 e B3. Beneficia os ossos , problemas circulatórios, imunidade, memória, regeneração tecidual e prevenção de câncer de mama. Pode ser utilizada para preparar pratos e produtos sem glúten, como substituto de farinhas convencionais, agregando proteína, e melhorando o perfil nutritivo, por exemplo de um pão sem glúten.

 

Tofú

Produto elaborado a partir da soja fermentada.
Produtos fermentados de soja são consumidos há cerca de 5.000 anos pela cultura asiática, porque são extremamente bem aproveitados pelo corpo. A soja sem ser fermentada, tem dificuldades para ser digerida e tem fatores anti nutricionais, propiciando uma tendência a desenvolver alergias tardias. Mas se consumida fermentada, que quer dizer pré-digerida, todos seus componentes são aproveitados, principalmente o cálcio, pois aumenta a sua biodisponibilidade. Agrega muitos benefícios, se incorporados à alimentação, podendo ser utilizado na manufaturação de produtos sem glúten, como por exemplo, biscoito e pão sem glúten.

Fonte: Alimentação Problema e Solução para doenças crônicas– Denise Madi Carreiro

 

Trigo Sarraceno

O trigo sarraceno é uma variedade de trigo duro. Embora muita gente pense que o trigo-sarraceno é um cereal, a semente não é uma gramínea dos cereais; na verdade o trigo sarraceno é a semente de um fruto, semelhante ao ruibarbo e às azedas.
Por vezes é classificada como grão,principalmente quando se trata de uso culinário. Os grãos são comestíveis e são parecidos com os grãos dos cereais habituais, são uma boa fonte de manganês, de magnésio e de fibras. O trigo sarraceno contém dois flavonóides importantes para a saúde: rutina e quercetina; é também rico em proteínas, contendo oito aminoácidos essenciais para a saúde, incluindo a lisina. Por ser isento de glúten, pode perfeitamente fazer parte da confecção de produtos sem glúten, como biscoitos e pão sem glúten.

 

Yacon

É uma raiz com aparência de batata, parente da mandioca, lembra gosto de pêra/melão. Originada dos Andes (2-3.000m de altura) não é rica em amido como os tubérculos, sua doçura vem em forma de um açúcar conhecido como FOS (fruto oligossacarídeo) que são adoçantes naturais e não são absorvidos pelo corpo, portanto liberado para os diabéticos.
Outro lado positivo, é que a Yacon tem grandes quantidades de inulina, capaz de tornar mais lenta a absorção de glicose após refeição, colaborando com a diminuição de colesterol no sangue. Curiosidade: Tubérculos (ex. batatas) 4 calorias por grama e Inulina 1cal./g.